Opinião do Anãozinho - Irmandade da Adaga Negra, Livro I - J. R. Ward


Também conhecido por: "Cruzes credo! O que é isto?"

Pois é verdade, ontem como foi feriado não publiquei nada por isso hoje vou escrever qualquer coisinha.

De facto, li este livro durante as férias porque já tinha visto imensa gente a falar sobre esta colecção e como eu até gosto de vampiros pensei: "Ah e tal, porque não?".

Biiiiiiiiiiig Mistake! 

Como sabem, até porque já referi algumas vezes, eu detesto ser destrutiva em relação ao trabalho dos escritores. Actualmente, apesar de haver muita gente com livros publicados a grande maioria deles dificilmente chega à categoria de escritor. Um escritor é alguém que domina a arte da expressão escrita e a escrita é um processo que está em constante evolução. Não é algo fácil como muitas vezes querem fazer crer e muitas vezes o próprio processo criativo é quase doloroso. É claro que eu não quero dizer com isto que escrever é um sofrimento, não é. O que eu quero dizer é que não é tão fácil como querem fazer crer, principalmente quando se quer ser bom, ou quando se tem de ser bom quando se pretende sobreviver neste tipo de profissão.

Daí que eu não goste de dar opiniões negativas em relação ao trabalho dos escritores, mas às vezes não é muito possível e este é um desses casos.

A verdade é que o livro - independentemente do facto de se tratar de um Romance Paranormal - é bastante mauzinho quando o comparamos com outros livros dentro do mesmo género. No geral, a ideia é boa mas está mal explorada e está estereotipada. As personagens são incipientes, a descrição das personagens é praticamente traumática e bastante difícil de associar à imagem de um vampiro. Mas o horror torna-se absoluto quando damos conta que estas criaturas, supostamente de elegância milenar, ouvem Jay-Z e/ou 2Pac. E este foi o meu momento "WTF!?!".

De qualquer forma, eu torturei-me até ao fim porque quando é para falar sobre alguma coisa, então há que ler a coisa toda. Por isso, no meio da catástrofe que é este livro há uma personagem com algum interesse e que é o mordomo. Este sim é uma personagem com potencial para cativar. De resto, como só li este livro (que é de 2005), não sei se entretanto a escrita desta autora evoluiu. Todavia alguma coisa deve ter evoluído já que ela tem publicados imensos livros desta série.

Agora, se me perguntarem se eu recomendo este livro a resposta, infelizmente, é não.

E por hoje é tudo. Boas leituras maltinha.        

Comentários