Como escrever uma "Short story"/Conto em 7 passos



Por acaso nunca me tinha ocorrido escrever sobre este tópico até que andei a navegar por aí na net e comecei a ver umas dicas (Nota: este esboço acima foi um dos exemplos que encontrei e que resumem bastante bem esta temática). Confesso que nunca me debrucei muito sobre o caráter mais técnico da escrita, porque nunca tive muita dificuldade em expressar-me desta forma e quando escrevo sem pensar muito no "onde é que quero chegar", faço-o pelo inverso que é "deixa-me ver onde é que a história me leva"

Isto, normalmente, tem um problema que é: a páginas tantas estamos completamente perdidos na história e aquilo que era suposto ser um conto, ou uma "short story", ou uma "flash fiction" rapidamente se transforma em algo maior que não era o seu objetivo inicial. Como entretanto perdemos o rumo, depois parece que já não sabemos exatamente o que é que estamos a escrever e o que é que realmente queremos escrever.

Por este motivo, se de facto queremos escrever uma história então é necessário estabelecermos algumas balizas e dar-lhe uma estrutura prévia. Criar-lhe um esboço.

Assim sendo, o que é que devemos considerar quando queremos escrever uma pequena história, ou um conto:

  • Uma pequena história demora a escrever, em média, 10 a 20 horas. É claro que isto varia de pessoa para pessoa e de que tipo de texto estamos a escrever. Se for um texto de 200 palavras é uma "flash fiction" e é uma história super-condensada, se tiver entre 3000 a 5000 palavras então estamos a falar de um conto, ou "short story" (apesar de haver quem diga que estes têm 10.000 palavras no máximo). É preciso ter uma ideia. Obviamente convém termos alguma ideia sobre o que é que queremos escrever e muitas vezes não precisa de ser nada de especial. Por exemplo quando eu tinha 12 ou 13 anos, eu e a minha melhor amiga trocávamos imensos bilhetinhos a contar histórias que inventávamos (como podem calcular, ainda não haviam telemóveis na altura e não dava para trocar mensagens) e notem, quando falo em bilhetinhos quero dizer 3 ou 4 folhas brancas de papel A4 arrancadas do caderno da escola mas, para nós era muito divertido e estávamos sempre à espera de ver qual é que era a próxima história e o que é que íamos inventar a seguir. Ideias pareciam nunca faltar.  

  • Escrever o resumo da história. Por muito estranho que pareça, escrever um resumo da história ajuda a centrar e a focar no objetivo da mesma.

  • Encontrar ou identificar o protagonista (que não é necessariamente o narrador). Todas as histórias têm um protagonista mesmo que não tenham um arraial de personagens atrás.

  • Encontrar aquela 1ª frase de introdução que seja o inicio perfeito. Isto, às vezes, é mais fácil de dizer do que de fazer.

  • Dividir a história numa lista de cenas. Apesar de, tecnicamente, isto ser mais inclinado para escrever argumentos - na minha opinião é claro - a verdade é que ter uma lista de cenas ajuda-nos a não perder o fio à meada, dá uma estrutura à história e acaba por ajudar-nos a identificar quais são as partes que precisam de ser melhor trabalhadas. A partir daqui podemos dedicar-nos a pesquisar o que precisarmos de pesquisar para melhorar o nosso trabalho.

  • Escrever e Editar. Bom depois é só escrever, editar, reescrever, voltar a editar até acharmos que o trabalho está concluído.

  • Publicar. E isto é o fim do processo. A palavra "Publicar" aqui está a ser utilizada no seu sentido lato. Quem escreve e publica textos - sejam eles de que natureza forem - não precisa de um Agente e/ou de uma Editora, nem precisa de editar um Livro em formato papel. É claro que é bonito e qualquer pessoa que escreve gostava de ver um livro seu publicado (ou não, gostos variam) mas, isso acarreta custos e em bom rigor também não é imperativo que aconteça se não for o objetivo.   

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os sete pilares da sabedoria ( T.E. Lawrence) - versão PDF