Estará a escrever sobre o quê?


Quando vi esta fotografia perguntei-me: "Estará aonde, a escrever a quem e a escrever sobre o quê?"

Colocando esta questão em voz alta, é claro que alguém me responderia: "Não tens nada a ver com isso."

É verdade.

A não ser que este rapaz seja uma personagem da minha criação e eu seja uma espécie de Deusa na vida dele. Gosto desta ideia.

Ao contrário do que acontece quando se lê, escrever tem destas coisas. Quando lemos, estabelecemos relações de empatia (ou não) com as personagens, assumimos a condição e a predisposição humana. Quando escrevemos transformamo-nos em deuses. Pomos e dispomos da vida das personagens a nosso bel prazer, mesmo quando - dentro das suas limitações - elas decidem seguir o seu próprio rumo.

Podemos ser generosos, ou não. No fim, a decisão sobre o seu destino estará sempre nas nossas mãos e afinal, todos os Deuses têm os seus caprichos.   

Bom dia a todos.

Comentários