Personagens masculinas - Os meus "Senhores" favoritos

Bom, esta foi sem dúvida uma decisão difícil que requereu alguma ponderação. Foi mais fácil decidir quais eram as minhas personagens femininas favoritas do que as masculinas.
 
Entre os 12 Senhores do Submundo e mais uns tantos complementos acessórios, confesso que tive alguma dificuldade em escolher... é uma sensação muito semelhante àquela de quando vamos às compras com um orçamento limitado. Vemos uma enorme quantidade de roupa, sapatos e malas, cada uma mais gira do que a outra, pegamos nelas, fazemos-lhes festinhas, damos-lhes beijinhos e até ronronamos mas... não temos dinheiro para levar tudo. Por um lado é absolutamente frustrante, por outro lado obriga-nos a focar naquilo que realmente queremos ou precisamos.
 
Por isso, escolher os meus meninos favoritos foi um drama algo semelhante e neste sentido, acabei por escolher 3 mas não lhes vou dar uma prioridade tipo, 1º, 2º ou 3º lugar. Estes 3 estão em pé de igualdade.
 
Logo desde o início da saga uma das minhas personagens favoritas foi Torin, o Guardião da doença. Um rapaz de cabelito branco, comprido (que surpresa!!!...) e de olhito verde, que - dada a natureza do seu demónio - não pode tocar em ninguém sob pena de despoletar uma epidemia de peste negra (o que, como devem calcular, deve ser um pouco desagradável). Como pouco mais pode fazer (ou não...), é um geek de computadores com um sentido de humor extraordinário e muito dedicado ao sarcasmo (qualidade que, na minha óptica, é sempre algo fantástico e admirável). Durante muito tempo, o Torin foi a minha única personagem favorita mas á medida que as aventuras se iam desenrolando houve outra personagem que, no início confesso que achei que era demasiado óbvio e vulgar mas, me foi chamando a atenção.
 
Paris, o Guardião da promiscuidade. Um mocito, alto, forte e espadaúdo de cabelo em vários tons de castanho e preto, comprido (olha, mais uma surpresa!!!) e olhito azul, que - dada a natureza do seu demónio - não pode dormir (ah ah ah... dormir), com a mesma mulher duas vezes. Confesso que no início achei-o demasiado básico e com muito pouco para oferecer. O típico menino bonito, desejado por todos os homens e mulheres, blá blá blá vamos meter o dedo na garganta e vomitar... mas efectivamente  o meu julgamento foi precipitado. À medida que o fui conhecendo melhor mudei radicalmente de opinião. Acabamos por descobrir que, por causa do que é, o rapaz tem uma personalidade perturbada e embora todos eles tenham uma personalidade perturbada, a forma como ele é capaz ou incapaz de lidar com as coisas que tem de fazer para sobreviver dá-lhe uma fragilidade que é absolutamente adorável.
 
Finalmente, a minha última personagem masculina favorita é William. O William não é um dos Senhores do Submundo, nem está possuído por nenhum demónio. É um imortal, amigo de Anya (a Deusa da Anarquia, também gosto muito dela mas gosto mais das harpias), que aparece logo no segundo livro. É mais um rapazito jeitoso, de olhito azul e cabelo escuro e... comprido... :))). É também irmão de Lúcifer, criou os 4 cavaleiros do apocalipse e é um mulherengo, muito capaz de competir com Paris. Não há palavras para descrever esta personagem. É absolutamente genial e domina a arte do sarcasmo como ninguém, tem tiradas simplesmente hilariantes e merecia ter um livro inteiramente dedicado a ele.
 
E pronto, estes são os meus três mosqueteiros. Quando quiserem partilhar os vossos, estejam à vontade.
 

Comentários

  1. Sem sombra de dúvida! Também acho que deveria haver um livro só do Will *-*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho quase a certeza que haverá Andrea, pelo menos a julgar por uma frase que está no livro do Torin parece-me que haverá.

      Eliminar
  2. Ola pessoal estou desesperada pelo livro traduzido do Torin, alguem pode me enviar? Meu email falhua@gmail.com eu agradeço de coração.

    ResponderEliminar
  3. Ola pessoal estou desesperada pelo livro traduzido do Torin, alguem pode me enviar? Meu email falhua@gmail.com eu agradeço de coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fátima, a tradução deste livro está prevista apenas para Abril de 2015, por isso ainda não existe nenhuma versão "oficial" em Português. Por outro lado, também ainda não encontrei nenhuma versão "não oficial" em PT.

      Eliminar

Enviar um comentário