As harpias de Gena

Depois de pensar bastante sobre quais seriam as minhas personagens, femininas, favoritas da saga Lords of the Underworld concluí que - de longe - são as harpias.
 
As manas Taliyah, Bianka, Kaia e Gwen Skyhawk têm uma personalidade brilhante e hilariante, sendo que das quatro irmãs as gémeas Bianka e Kaia ganham o pódio.
 
Neste universo as harpias são umas criaturas bastante temidas, sedentas de sangue e capazes de arrasar um exército inteiro. No entanto, estão sujeitas a algumas regras: 1) Só podem comer a comida que roubarem ou que ganharem; 2) Não podem dormir em companhia de ninguém (excepto do seu consorte), evitando deste modo que lhes prendam as asas. As asas são o seu ponto fraco, se as prenderem elas ficam indefesas e isso seria sempre um motivo de vergonha para qualquer uma delas. Tirando isto, são umas personagens completamente passadas das cabeça e basicamente fazem tudo o que lhes apetece.
 

Nesta saga temos a oportunidade de conhecer as histórias de
Bianka, Kaia e Gwen.
 
A história de Bianka (irmã gémea de Kaia) e Lysander é contada no livro "Darkest Angel" (que faz parte da antologia "the Heart of Darkness") e dá conta de como a relação entre uma harpia e um anjo pode ser bastante divertida... considerando que estamos a falar de um anjo... que com mais coisa ou menos coisa ainda assim é um anjo e não é propriamente a personificação da diversão (pese embora tenha muitos outros atributos).
 
A história de Gwen e Sabin (o guardião do demónio da dúvida) é contada no quarto livro "The Darkest Whisper" (Palavras Escuras em português). É neste livro, pela mão da doce e afável Gwen, que efetivamente, conhecemos pela primeira vez as harpias e neste caso, as manas Skyhawk. A personagem de Gwen é, de facto e na generalidade, doce e afável... desde que não a irritem. É uma espécie de oposto das irmãs que são completamente desvairadas e amigas do peito de Anya (a Deusa da anarquia).
 
A história de Kaia e Strider (o guardião do demónio da derrota) é contada no oitavo livro, "The Darkest Surrender" (A rendição mais obscura em português). Este é o livro que melhor explora as harpias e alguns dos seus estranhos costumes, no geral, e o clã Skyhawk, em particular. Entre as personagens há momentos em que os diálogos são hilariantes devido ao choque e à tensão criada entre as diferentes personalidades mas tudo está sempre enquadrado no enredo geral da saga.
 
Para quem já está um pouco farta(o) da moda dos vampiros e dos zombies... sim, dos zombies, zombies é muito fashion... eu diria que as harpias - vistas na perspetiva desta  autora - são sem dúvida uma excelente alternativa. Pelo menos posso garantir-vos que contam com o meu voto.
 
Assim sendo, eu sou pelas harpias.
 
 
Noutra altura dir-vos-ei quem é (são) o (s) meu (s) guardião (ões) favorito(s).          

Comentários